Arquivos do Blog

Um dia dedicado a elas, as crianças e os adolescentes do PIAJ

“Toda Criança e Adolescente tem o direito de crescer e ser feliz.”

Um dia de criança. Foi assim que o Programa Infância Adolescência e Juventude (PIAJ) realizou a sua confraternização com o encerramento das atividades neste primeiro ano de 2011 na cidade de Cametá, localizado no território do baixo Tocantins do Estado do Pará. A confraternização reuniu as crianças e adolescentes que fazem parte do programa.

Em toda a manhã do último sábado, dia 17, foi realizado uma programação dedicado as crianças do projeto. A confraternização ocorreu na Escola Municipal de Ensino Fundamental Dinorá Tavares, localizada na comunidade São Joaquim.

Toda criança tem o direito à liberdade, ao respeito e à dignidade

Foi um dia dedicado a elas, neste dia as crianças e os adolecentes do PIAJ puderam apresentar o que aprenderam dentro do projeto por meio das oficinas que foram ofertadas, como a apresentação de poemas, danças, atividades esportivas como a capoeira e futebol. Na programação houve também brincadeiras e sorteios com a entregas de prêmios, uma bicicleta e um micro system.

O projeto conta com o apoio da Cáritas Brasileira e da Cáritas Suíça, o programa tem duração de três anos, começou em maio de 2011 e finalizará as suas atividades em maio de 2013. O PIAJ visa à prevenção da exploração sexual de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

Estavam presentes no encerramento do PIAJ Lindomar Silva, Secretário Executivo e Michel Paiva, Agente da Cáritas Regional Norte 2 da CNBB, Alessandra Miranda, Assessora de Direitos Humanos da Cáritas Brasileira, Eraldo Paulino, Assessor da Pastoral da Juventude do Regional Norte 2 da CNBB.

Práticas culturais e esportivas, promovem a cidadania e a solidariedade

Toda criança tem o direito à educação, cultura, esporte e lazer

O PIAJ tem como princípios despertar a cidadania, o respeito, a valorização da família e da solidariedade. E como metodologia para atingir esses fundamentos  foram ofertadas oficinas que promoveu e valorizou a cultura local, como danças de carimbó e a capoeira, práticas esportivas como o voleibol e futebol, alfabetização por meio da oficina de leitura e escrita, artesanato e reciclagem, com base na economia solidária.

As crianças também tiveram um acompanhamento psico-social para se diagnosticar o desepenho da mesma durante as oficinas, esse acompanhamento tem como objetivo melhorar a auto-estima da criança e do adolecescentes, assim como sua relação familiar.

De acordo com Joênia Nunes, agente da Cáritas Diocesana de Cametá, “é perceptível que as crianças estão mais felizes com as oficinas que nós fizemos, além delas fizemos um trabalho de integração coordenado pela assistente social, e com isso elas (crianças) brincam mais, são mais amigas, interagem mais, elas não tinham essa oportunidade”.

As inscrições para cadastro das crianças e adolescentes e seus familiares ocorreu em agosto deste ano. Foram inscritos cerca de 180 crianças e adolescentes da comunidade São Joaquim.

As atividades também envolveram os pais das crianças. Estes participaram de palestras sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e sobre a importância da família no acompanhamento dos filhos em relação às  atividades do PIAJ.

Cáritas Brasileira Regional Norte 2 de Cametá realiza programa em defesa da criança e do adolescente.

“Toda Criança e Adolescente tem o direito de crescer e ser feliz.”

“Toda Criança e Adolescente tem o direito de crescer e ser feliz.”

Estão abertas as pré-inscrições para as oficinas e palestras do Programa Infância Adolescência e Juventude (PIAJ) realizado pela Cáritas Brasileira Regional Norte 2 e a Prelazia de Cametá. As inscrições começaram dia 01 terminam dia 13 de agosto.

O programa atenderá 180 crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos. Conforme Joênia Nunes, agente da Cáritas Regional Norte 2 de Cametá, após a pré-inscrição será realizado uma triagem com os candidatos.

A triagem será realizada por meio de visitas domiciliares, entre os dias 15 a 26 do mês corrente, por assistentes sociais, pedagogos e educadores sociais com aplicação de questionários para identificar se os candidatos encontram-se dentro dos critérios do programa. O objetivo é traçar um diagnóstico social e consequentemente definir os participantes para o programa.

De acordo com os dados do Disque Denúncia Nacional de Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes (Disque 100) em 2010 foram registrados 13.247 denúncias de violência contra crianças e adolescentes. A região Norte ocupa o terceiro lugar com 89,39 denúncias por grupos de 100 mil habitantes registrados no período de maio de 2003 a junho de 2010.

Em Cametá o Conselho Tutelar do município registrou, somente em abril de 2011, 41 casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes e 23 casos de violência escolar. Em 2009 foram registrados 98 casos de abuso sexual, 2010 foram 172 casos registrados e 54 casos de violência escolar.

Como forma de combater a violência contra crianças e adolescentes o PIAJ é um programa que atua na defesa dos direitos humanos, no fortalecimento do vínculo familiar e comunitário para a inclusão social, desenvolvimento sustentável e solidário.

O trabalho visa à prevenção e o combate da exploração sexual de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. O programa terá duração por três anos (maios de 2011 a maio de 2013) e conta com o apoio da Cáritas Brasileira e da Cáritas Suíça.

As crianças e adolescentes selecionados, assim como os seus familiares, participarão de palestras dentre elas: Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA e Políticas Públicas; Direitos Humanos – enfrentamento a exploração sexual de crianças e adolescentes; Violência doméstica e Trabalho precoce; Medidas Socioeducativas; Protagonismo Infanto-juvenil e Direitos Humanos e Meio Ambiente.

As oficinas ofertadas são: artesanato, reforço escolar, dança, teatro, atividades lúdicas e esportes. “É por meio das oficinas que podemos atingir as crianças e os adolescentes, e desta forma alcançar o objetivo maior do PIAJ, que é o desenvolvimento da cidadania, inclusão social e conscientização da comunidade dos direitos da criança e do adolescente.” completa Joênia Nunes.

%d blogueiros gostam disto: