Arquivos do Blog

Cáritas N2 participa da Plenária Local de Economia Solidária de Santa Luzia do Pará

Imagem

A Cáritas Regional Norte 2 participa hoje (13/04) da Plenária Local de Economia Solidária de Santa Luzia do Pará. A plenária é parte integrante para a preparação à V Plenária Nacional de Economia Solidária, cujo lema é “Economia Solidária: o bem viver, a cooperação e a autogestão para um desenvolvimento justo e sustentável”.que deve ocorrer nos ias 10 a 13 de dezembro de 2012.

De abril a julho, várias plenárias locais estão sendo realizadas em todo o Brasil, aos moldes do que ocorre hoje em Santa Luzia. As plenárias estaduais devem ser feitas até agosto, incluindo a do Pará, que ainda não está marcada.

Proposições, ideias e debates oriundos das plenárias locais (como a de Santa Luzia), e estaduais estarão sintetizadas num documento-base que será refletido na Plenária Nacional.

Por ERALDO PAULINO, assessor de comunicação da Cáritas Norte 2.

Cáritas prelatícia de Cametá faz parte da coordenação do Fórum Territorial de ECOSOL do Baixo Tocantins

Imagem

Imagem: Luis Dantas

Nos dias 22 e 23 de março, no município de Baião, ocorreu encontro do Fórum Territorial do Baixo Tocantins de Economia Solidária. Durante o evento foi desfeita a coordenação provisória do fórum territorial e eleita a nova, para a qual a Cáritas da Prelazia de Cametá foi eleita numa das vagas de entidades de apoio. Como parte da programação do encontro, também foi realizada oficina sobre o Projeto Promoção do Desenvolvimento Local por Meio de Fundos Solidários na Região Norte do Brasil.

A Cáritas  participou através das representações do município de Igarapé Miri, pertencente à Prelazia de Cametá, e a própria Cáritas prelatícia, que assumiu uma das cadeiras de coordenação numa das três vagas de entidades de apoio através do agente Carlos Schafascheck, 55 anos.

Foi o primeiro encontro do fórum em que a Cáritas de Igarapé Miri se fez presente, assumindo parte da delegação de entidades do município. “Acredito que tenha sido uma boa experiência.  Agora que nossa prelazia compõe a coordenação, penso que a Cáritas tenha saído fortalecida do encontro”, avaliou Michel Paiva, 30 anos, articulador da entidade no município.

A região do Baixo Tocantins é composta pelos municípios de Abaetetuba, Acará, Baião, Barcarena, Cametá, Igarapé-Miri, Limoeiro do Ajuru, Mocajuba, Moju, Oeiras do Pará e Tailândia.

OFICINA

Da oficina sobre Projeto Promoção do Desenvolvimento Local por Meio de Fundos Solidários na Região Norte do Brasil, participaram gestores de políticas publicas de economia solidária representando prefeituras municipais e órgão do governo estadual, empreendedores e empreendedoras representando os Empreendimentos Econômicos Solidários e entidades de apoio.

Entre os principais resultados alcançados, um deles foi o compromisso com o projeto através do mapeamento das experiências no âmbito do território. Outro resultado foi o agendamento no município de Baião onde vamos fazer relação com a segurança alimentar, pois diversas iniciativas estão em andamento.

Durante o final de março e inicio do mês de abril outras oficinas ficaram de ser confirmadas nas comunidades com o objetivo de divulgar e executar as ações do projeto.

por Eraldo Paulino, assessor de comunicação da Cáritas Regional Norte 2, com informações de Luis Dantas, articulador regional do Projeto de Fundos Solidários da Cáritas Regional Norte 2

Reunião do Conselho das Redes de Economia Solidária

 Na manhã de ontem, 27, ocorreu a reunião do Conselho das Redes de Economia Solidária da Amazônia. Na pauta da reunião foi debatido o balanço das ações das Redes, as propostas da nova coordenação do Fórum Paraense de Ecosol e a programação das Feiras de Economia Solidária que irão ocorrer no Estado do Pará.

Estavam presentes Nazaré Reis e Vincenzo Ghirardi pela Rede Bragantina de Economia Solidária Artes e Sabores, Diege Ferreira Mata e Irmã Edilamar Pimenta do grupo Mãos Solidárias, Solange Ferreira e Maria do Socorro Aguiar, Rede Tocantina e os representantes da Rede Capim: Eduano Santos, Marcos Wesley Lopes e Daniele Xavier Silva.

No primeiro momento foi realizada a leitura do texto “Impulsionar a Revolução Cultural”. Em linhas gerais o mesmo aponta os desafios dentro dos movimentos sociais e remete a uma reflexão sobre como superá-los.

 A ideia é extrair do texto as soluções, remetendo a realidade dos grupos de economia solidária para a construção de uma cartilha que será construído em conjunto com os grupos e comunidades da Economia Solidária.

Após o término da análise do texto foram apresentados os objetivos da nova coordenação do Fórum de Economia Solidária. Este é um espaço de discussão e visa implementar o planejamento e a organização dos grupos de economia solidária. A Cáritas Brasileira Regional Norte 2 será a entidade de apoio ao Fórum de Ecosol.

Um dos objetivos do Fórum Paraense de Economia solidária é estimular e realizar ações voltadas para a formação e a capacitação profissional, técnica e teórica aos membros: empreendedores, assessores e gestores, além de articular a integração com os programas e projetos do Governo.

Feiras de Economia Solidária são eventos garantidos no Estado do Pará

Nas cidades de Abaetetuba, Paragominas e Igarapé Miri, na vila de Maiauatá, serão realizadas as Feiras de Economia Solidária.

As feiras de economia solidária são espaços para que os grupos tanto rurais quanto urbanos possam expor seus produtos e assim divulgar os princípios da Economia Solidária, como uma alternativa econômica que visa a cooperação, sustentabilidade, autogestão e solidariedade.

A Feira do Extra Abaetetuba ocorrerá no período de 11 a 13 de novembro. Promovido pela Diocese da cidade, a feira já ocorre pela 9ª vez.

Em Igarapé Mirim a feira ocorrerá nos dias 16 e 17 dezembro na vila de Maiauatá. Durante a feira serão realizadas campanhas de divulgação do Eca e prevenção sobre o Tráfico de Pessoas.

Rede Capim realiza o 4ª Seminário e a 3ª Feira de Economia Solidária

De 25 a 27 de novembro Paragominas recebe o 4ª seminário e 3ª Feira de Economia Solidária realizado pelo instituto Popular Amazônico e Rede Capim com apoio da Campanha da Fraternidade – CNBB e Cáritas Norte 2 e parceria com Movimento Amazônico Rural e Urbano.

160 pessoas irão participar da feira, como expositores e participantes do seminário. Foram cadastrados 50 empreendimentos para exposição dos seus produtos. A expectativa de público é em media de mil pessoas que visitarão a feira nesse período.

Os visitantes e participantes poderão esperar na noite cultural apresentações de grupos de capoeira e cultura popular, experiência de rádio comunitária e apresentações de bandas musicais.

%d blogueiros gostam disto: