Histórico

No Regional Norte II a Cáritas existe desde 1988 e inserida no cenário amazônico de luta e resistência das populações, no qual mentem-se atuante, implementando atividades diversificadas:

a)PACs e Cooperativismo – Os mais diversos Projetos Alternativos Comunitários – como uma atitude de solidariedade da igreja, tem se manifestado aqui no Regional enquanto atitudes concretas de apoio não assistencialistas às vítimas das diferentes formas de emergência, indo desde situações de violação dos direitos humanos a famílias sem terra, crianças e adolescentes, mulheres, etc. até a geração de renda a partir da ocupação de grupos organizados. Estas ações possibilitaram mais a diante a criação do atual Programa de Economia Solidária. Neste Período a tingimos cerca 70 grupos, mais de 5000 (cinco mil) famílias no Estado;

c) Fórum da Reforma Agrária – com a intensificação da temática da reforma agrária no cenário nacional e local, a Cáritas Norte II impulsionou, nos anos de 2000/2001, a criação desse Fórum que contribuiu decisivamente para a implementação de ações voltadas para a reforma agrária. Junto com o MST e a CPT, a Cáritas pôde ir potencializando ações conjuntas de apoio aos movimentos sociais em suas reivindicações por terra, crédito, assistência técnica, etc. É neste cenário que a necessidade vai impulsionar o surgimento de um movimento com características voltadas para apoiar a luta dos pequenos agricultores, com características próprias e adequadas à realidade e necessidades locais – O MPA – Movimento dos Pequenos Agricultores;

d) Prestação de Serviço de Assistência Técnica, Extensão Rural e Capacitação, Assessoramento, elaboração de Projetos Técnicos de Créditos – no período de 2001 a 2003 foi estabelecido convênio com o INCRA para prestação de serviço de assistência técnica para os P.A.s: Miritipitanga, Benedito Alves Bandeira, Luis Lopes Sobrinho e João Batista II.

e) Pesquisa e desenvolvimento – Em parceria com universidades e outras instituições, a Cáritas Norte II tem buscado se empenhar em atividades de pesquisa e desenvolvimento. Num consórcio com a CPT, implementou-se de 2005 a 2008 o Projeto Soja, que, nesta primeira fase, realizou ampla pesquisa acerca do avanço da soja no Pará, identificando alguns de seus impactos sociais, econômicos, culturais e ambientais. Uma das áreas objeto de pesquisa foram os municípios de Ipixuna do Pará, Ulianópolis, Dom Elizeu, Rondon do Pará e Paragominas. Seu produto final foi de grande valia para as instituições e movimentos (e para toda a sociedade) que lutam pela reforma agrária e preservação da vida.

f) Combate ao Trabalho Escravo – Através do projeto “Trilhas da Liberdade” desenvolvemos no período de 2005 a 2008 nos municípios de Ipixuna do Pará, Ulianópolis, Dom Elizeu, Rondon do Pará e Paragominas, no Estado do Pará, um intenso trabalho de levantamento de situações, acompanhamento e denúncias de casos de trabalhadores rurais  vítimas do trabalho escravo, sensibilizando a população sobre a temática numa região onde é grande o número de violações dos direitos humanos.

%d blogueiros gostam disto: