Arquivo mensal: março 2012

Resultado final do Edital para contratação do Articulador de Macapá

A Cáritas Brasileira, organismo da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), em atendimento ao disposto no Convênio nº  765102/2011  celebrado entre a Cáritas Brasileira Regional Norte II  e o Ministério do Trabalho e Emprego, por intermédio da Secretaria Nacional de Economia Solidária (SENAES/MTE), torna público o RESULTADO FINAL do Processo Seletivo Simplificado (PSS) para contratação do ARTICULADOR DE MACAPÁ  para compor  equipe para execução de atividades  vinculadas  ao PROGRAMA ECONOMIA  SOLIDARIA EM DESENVOLVIMENTO,  através do Projeto  “PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO LOCAL POR MEIO DE FUNDOS SOLIDÁRIOS NA REGIÃO NORTE DO BRASIL.  Em conformidade com a  Chamada Pública  SENAES/MTE nº 01/2011.”

 

DANIEL NASCIMENTO CAMPOS FILHO

Resultado final para contratação de consultores

Resultado final do edital para a contratação de 03 (três) consultores para atividades de formação, consultoria e relatoria das atividades desenvolvidas pelo projeto denominado “PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO LOCAL POR MEIO DE FUNDOS SOLIDÁRIOS NA REGIÃO NORTE DO BRASIL.

Evandro Souza Santos

Franquismar Marciel de Souza

Vaulene  M de Jesus

Cáritas prelatícia de Cametá faz parte da coordenação do Fórum Territorial de ECOSOL do Baixo Tocantins

Imagem

Imagem: Luis Dantas

Nos dias 22 e 23 de março, no município de Baião, ocorreu encontro do Fórum Territorial do Baixo Tocantins de Economia Solidária. Durante o evento foi desfeita a coordenação provisória do fórum territorial e eleita a nova, para a qual a Cáritas da Prelazia de Cametá foi eleita numa das vagas de entidades de apoio. Como parte da programação do encontro, também foi realizada oficina sobre o Projeto Promoção do Desenvolvimento Local por Meio de Fundos Solidários na Região Norte do Brasil.

A Cáritas  participou através das representações do município de Igarapé Miri, pertencente à Prelazia de Cametá, e a própria Cáritas prelatícia, que assumiu uma das cadeiras de coordenação numa das três vagas de entidades de apoio através do agente Carlos Schafascheck, 55 anos.

Foi o primeiro encontro do fórum em que a Cáritas de Igarapé Miri se fez presente, assumindo parte da delegação de entidades do município. “Acredito que tenha sido uma boa experiência.  Agora que nossa prelazia compõe a coordenação, penso que a Cáritas tenha saído fortalecida do encontro”, avaliou Michel Paiva, 30 anos, articulador da entidade no município.

A região do Baixo Tocantins é composta pelos municípios de Abaetetuba, Acará, Baião, Barcarena, Cametá, Igarapé-Miri, Limoeiro do Ajuru, Mocajuba, Moju, Oeiras do Pará e Tailândia.

OFICINA

Da oficina sobre Projeto Promoção do Desenvolvimento Local por Meio de Fundos Solidários na Região Norte do Brasil, participaram gestores de políticas publicas de economia solidária representando prefeituras municipais e órgão do governo estadual, empreendedores e empreendedoras representando os Empreendimentos Econômicos Solidários e entidades de apoio.

Entre os principais resultados alcançados, um deles foi o compromisso com o projeto através do mapeamento das experiências no âmbito do território. Outro resultado foi o agendamento no município de Baião onde vamos fazer relação com a segurança alimentar, pois diversas iniciativas estão em andamento.

Durante o final de março e inicio do mês de abril outras oficinas ficaram de ser confirmadas nas comunidades com o objetivo de divulgar e executar as ações do projeto.

por Eraldo Paulino, assessor de comunicação da Cáritas Regional Norte 2, com informações de Luis Dantas, articulador regional do Projeto de Fundos Solidários da Cáritas Regional Norte 2

“Toda gente cabe lá
Palestina, Shangri-lá
Vem andar e voa
Vem andar e voa”

Nos dias 22 e 23 de março jovens de todas as regiões do Brasil se reuniram na sede da Cáritas Brasileira, em Brasília, para participarem do Seminário Nacional de Planejamento do Coletivo de Juventude da Rede Cáritas.

O eixo condutor do trabalho foi a discussão em torno de ações articuladas dentro do tema Juventude e Desenvolvimento Sustentável Solidário e Territorial (DSST). Na discussão do DSST foi proposta uma roda de conversa com as contribuições de Lourival Rodrigues e Marcelo Lemos, da Casa da Juventude (CAJU), Ademar Bertucci, do Secretariado Nacional da Cáritas e Thiesco Crisóstomo, secretário nacional da Pastoral da Juventude (PJ).

Um dos temas que também foram discutidos pelo coletivo foi a Cúpula dos Povos na Rio + 20. A cúpula é um evento organizado pela sociedade civil global que acontecerá entre os dias 15 e 23 de junho no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro – paralelamente à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (UNCSD), a Rio+20. Nesse momento Ivo Poletto, do Fórum Mudanças climáticas e Justiça Social contribuiu com as discussões.

VILAREJO

Logo depois do início do encontro, após almoço do dia 22, o encontro foi percebido como um espaço de vivência da mística da juventude, com o (re) conhecimento de cada uma e cada um que participava do espaço com a partilha de palavras de poesia. A idéia do coletivo constituído como um vilarejo, uma comunidade, perpassou todos os momentos do seminário e aproximou os que chegavam com sorrisos tímidos olhares curiosos.

Nos momentos de partilha da mística inicial, os sonhos de semear o mundo real era percebido como algo em comum, diante da diversidade de sotaques e semblantes. Entre os sonhos, o desejo de contribuir para que as juventudes que agem e/ou é atingidas por diversas ações da Cáritas possam compor esse coletivo com identidade e rosto e missão de Cáritas e que, organizada, possa assumir o papel de protagonista de sua história.

Durante à tarde do segundo dia de encontro, cada regional mostrou a definição de suas ações a partir das prioridades, objetivos e ações que foram definidas durante o Fórum Nacional, que aconteceu dos dias 12 a 14 de março e em conjunto realizamos o planejamento das ações do coletivo de juventude para o ano de 2012.

“Voltamos mais animados para o trabalho em nossos regionais, animando a juventude brasileira para construir um novo mundo, possível e necessário, pautado na igualdade, solidariedade e no respeito à pluralidade. Isso se dará a partir das ações que esse seminário nos provoca a realizar em nossos bases, sobretudo debatendo as política públicas e os direitos humanos da juventude, nossa participação enquanto Cáritas nas ações da Campanha Contra violência e extermínio de jovens, entre outras coisas”, afirma Leon Patrick, 20,  da Cáritas Regional Minas Gerais, sobre as motivações levadas do seminário.

Ainda falando sobre as expectativas geradas pelo encontro, Victória Holzbach, 21 da Cáritas Diocesana de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul afirma: “O encontro gerou, sem dúvida, uma perspectiva muito boa em relação ao trabalho da Cáritas com a juventude em todo o Brasil. No Rio Grande do Sul, por exemplo, estamos já planejando nosso trabalho a partir dos encaminhamentos provenientes desta reunião do Coletivo. Aqui no estado faremos encontros regionais e diocesanos para articular e aprofundar o processo de formação e engajamento da juventude nos trabalhos e ações desenvolvidos pela Cáritas.”

por Monyse Ravena, assessora de Comunicação da Cáritas Regional Ceará, e Fernanda Nalon, estagiária da Assessoria de Comunicação / Secretariado Nacional.

Fonte: Site da Cáritas Brasileira.

Comunicadores da Rede Cáritas participam do 5º Encontro de Jornalistas da CNBB

O objetivo do encontro que reuniu profissionais de comunicação de (arqui)dioceses de todo país, foi formar uma grande rede de comunicadores

Na noite do dia 23, sexta-feira, foi aberto oficialmente o 5º Encontro com os Jornalistas das Dioceses, Regionais e Organismos da CNBB. O evento, organizado pela Assessoria de Imprensa da Conferência dos Bispos do Brasil, reuniu mais de 70 pessoas das cinco regiões do país. A Casa de Retiros Assunção, em Brasília (DF) foi o local do encontro, que terminou no domingo, dia 25.

A Rede de Comunicadores da Cáritas Brasileira foi representada por Lívia Bacelete, pelo regional Minas Gerais, Monyse Ravena, pelo regional Ceará, e Thays Puzzi, pelo Secretariado Nacional da entidade. Além de traçar estratégias de comunicação junto a Igreja, as comunicadoras puderam contribuir com a experiência já vivida em rede pela Cáritas, trocar experiências, aproximar-se dos comunicadores das dioceses de suas regiões e articular parcerias de divulgação da 5ª Semana Social Brasileira, que ocorrerá em maio de 2013.

“Quem não incorporar a Comunicação em seus projetos profissionais não vai avançar.”

Com o tema “Jornalismo em Rede – um desafio para a Igreja”, o encontro contou com a participação de Sidney Rezende, jornalista da rede Globo News e professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), que falou sobre “Experiência de jornalismo em rede no rádio, TV e internet.

De acordo com Rezende, quem não incorporar a Comunicação em seus projetos profissionais não vai avançar. Ao falar sobre gestão da informação, o jornalista disse que um desafio para a geração presente é “achar o ponto de equilíbrio na comunicação”.

O jornalista, que foi um dos fundadores da rede Central Brasileira de Notícias (CBN), destacou que a chave para mudarmos o mundo é o diálogo. “Temos que criar mais canais de comunicação. Devemos fazer com que a sociedade seja mais humana, fraterna e que olhe para os mais necessitados”.

Encontro aborda a utilização de redes sociais de forma institucional

O professor de webjornalismo, Danin Júnior, abordou o tema: ‘Experiência de jornalismo em rede para uma instituição’. O convidado é especialista em ‘Jornalismo em novas mídias’, e dividiu sua experiência de atuação na comunicação digital, do governo de Goiás, com os comunicadores participantes do encontro.

“Hoje a comunicação está mais transparente, e o jornalista é responsável por essa transparência ser bem trabalhada”, disse. “O jornalismo institucional mostra ações positivas do governo. Se tem uma crise, mostramos ações que estão sendo tomadas para combatê-las”, exemplificou.

Danin explica que em uma assessoria, “não basta publicar” matérias e ações sobre a instituição (no exemplo dele, o governo o estado de Góias), é necessário, também, haver diálogo com o público. Para uma comunicação eficaz, o especialista dá algumas sugestões: “buscar aprofundamento no conteúdo, ter um bom texto e design interessante, enriquecer com imagens e infográficos; utilizar softwares de animação”.

por Thays Puzzi, assessora de Comunicação da Cáritas Brasileira / Secretariado Nacional / com informações da CNBB

%d blogueiros gostam disto: