Arquivo diário: 13/01/2012

Cáritas Norte 2 – PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO (PSS-01/2012) PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL POR TEMPO DETERMINADO

A Cáritas Brasileira Regional Norte 2, organismo vinculado a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, em atendimento ao disposto no convênio nº. 765.102/2011, entre Cáritas Brasileira Regional NII e Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, por intermédio da Secretaria Nacional de Economia Solidária (SENAES/MTE), torna público o processo seletivo simplificado para contratação de pessoal para atuar no referido convênio de acordo com o Edital de Seleção.

Das Vagas:

  • Coordenador – 1 vaga;
  • Auxiliar Administrativo – 1 vaga

EDITAL COMPLETO: Edital 01.2012 Projeto Fundos

Cáritas se reúne com parceiros locais para planejar ação de emergência nas regiões mais afetadas pelas chuvas em Minas Gerais

As fortes chuvas em Minas Gerais já afetaram 192 municípios, sendo que 137 decretaram situação de emergência, de acordo com o último boletim da Defesa Civil (VEJA AQUI) no estado. Até agora são 46.970 pessoas desalojadas, 3.145 desabrigadas, 3 desaparecidas, 119 feridas e 15 mortas, totalizando 2.905.383 pessoas afetadas pelas chuvas que assolam o estado e a região sudeste.

Leia mais no site da Cáritas Brasileira

Haitianos: ”No momento em que o país acolhe os imigrantes, tem que acolher com dignidade”. Entrevista especial com Patrizia Licandro

Fonte: IHU

“O governo federal resolveu, politicamente, que vai acolher os haitianos e eu apoio essa decisão, mas então tem que criar uma infraestrutura de acolhida”, declara a religiosa.

Irmã Patrizia Licandro vive em Tabatinga, no extremo oeste do Amazonas, e assiste de perto a chegada de vários haitianos que desembarcam na cidade e depois migram para Manaus e outras regiões em busca de emprego e de uma vida mais digna no Brasil. A migração de haitianos para o município, segundo ela, iniciou em 2010, logo após o terremoto que atingiu o país, mas desde junho de 2011 o número de imigrantes que chegam à cidade por mês dobrou. Somente no ano passado foram contabilizados 2.841 haitianos, e na primeira semana de janeiro deste ano 133 novos imigrantes chegaram ao município.

Na tarde da última quarta-feira, às vésperas dos dois anos do terremoto que assolou o Haiti, Ir. Patrizia conversou com a IHU On-Line por telefone e relatou a situação dos 1.400 haitianos que estão em Tabatinga, aguardando uma entrevista com os funcionários da Receita Federal para, então, seguirem viagem até Manaus, onde poderão solicitar a carteira de trabalho e conseguir um emprego formal. “Ao chegarem ao país, eles têm que dormir no chão, no relento, não se alimentam direito e vivem em situação de precariedade. Eles começam a ter doenças respiratórias, sarna, porque as situações higiênicas são muito precárias, transtornos psicológicos, porque eles têm dificuldade de dormir, muita ansiedade e tudo isso contribui para piorar o quadro de saúde”, conta.

De acordo com ela, o governo federal aceitou a entrada dos imigrantes no país, mas não ofereveu respaldo. Atualmente as religiosas recebem uma colaboração da Cáritas Nacional e contam com as doações e trabalho voluntário da população local. “O governo federal resolveu, politicamente, que vai acolher os haitianos e eu apoio essa decisão, mas então tem que criar uma infraestrutura de acolhida. Não é possível jogar em cima dos particulares e das organizações humanitárias uma decisão que é do governo federal. O governo federal decide, mas quem carrega o peso dessas decisões são as pessoas”, critica.

Para Ir. Patrizia, a proposta do governo federal, de limitar o número de imigrantes que ingressam no país é positiva e garantirá uma migração com dignidade. “Ouvindo o projeto de lei sobre migração que será discutido, acredito que esse é o caminho certo, na medida em que, se o haitiano sai já de Porto Príncipe com seu visto, eles podem entrar por qualquer cidade do Brasil e não precisam passar pelo sofrimento e constrangimento que estão passando”. E reitera: “O número pode parecer pequeno, mas se pudermos acolher 100 pessoas por mês, já estaremos dando uma resposta mais digna para os haitianos que chegam ao país”.

Ir. Patrizia Licandro é italiana, religiosa das Ursulinas de São Carlos e vive no Brasil desde 1996. Graduou-se em Psicologia pela Universidade de Pádua, Itália, e em Ciências Religiosas pela Faculdade Teológica de Milão. Foi presidente da Regional da Conferência dos Religiosos do Brasil  CRB de Goiânia-GO, de 2001 a 2006, e trabalhou por dez anos na formação da vida religiosa, vivendo sua inserção missionária na periferia da capital goiana. Desde 2006 está em Tabatinga-AM, na Diocese de Alto Solimões, trabalhando na coordenação de pastoral.

Confira a entrevista.

Clique aqui

 


 

%d blogueiros gostam disto: