Fundos Solidários é tema de Seminário promovido pela Cáritas Norte 2

Os Fundos Rotativos Solidários são uma alternativa econômica para comunidades e/ou grupos sociais que não têm acesso ao sistema financeiro tradicional.

Nos dias 21 e 22 de junho a Cáritas Norte 2 realizará o seminário sobre Fundos Solidários na Amazônia. O Seminário envolverá a participação de representantes da Cáritas Brasileira Nacional, Secretária Nacional de Economia Solidária (SENAES), Banco da Amazônia, Banco do Nordeste, Fundo Dema, Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (ABONG) e Associação Paraense de Apoio às Comunidades Carentes (APACC).

O evento tem por finalidade identificar os Fundos Solidários existentes na Amazônia, debater a metodologia e sistematização dos Fundos, compartilhar com os participantes de Economia Solidária, apoiadas pela Cáritas Norte 2, as experiências de fomentação de Fundos Solidários realizado pelo Banco do Nordeste, definir estratégias de fortalecimento e compor um comitê de Fundo no Estado do Pará.

Os Fundos Solidários se constituem em um apoio financeiro às práticas de atividade da Economia Solidária. Estes firmados na autogestão, produção coletiva, sustentabilidade e cooperação, no qual configuram a emancipação dos trabalhadores formados em grupos/cooperativas e/ou associações.

No Brasil a experiência de Fundos Rotativos Solidários (FRS) se realizou em 1993, administrado pela Articulação do Semiárido – ASA, no Município de Soledade, na Paraíba.

No Pará a Associação Bujaruense dos Agricultores e Agricultoras (ABAA) já possuem, desde 2001, experiências de Fundos Solidários. Para Rose de Castro Soares, tesoureira e assessora da ABAA, o objetivo do Fundo é estruturar os associados suprindo suas necessidades na compra de equipamentos e matérias além de investir na formação dos mesmos.

A ABAA viabiliza os recursos gerados pelos Fundos por meio de Projetos Alternativos Sustentáveis como a criação de mel e incentivo a agricultura. A partir da produção os sócios, voluntariamente, contribuem 15% da sua produção para os Fundos, realizando assim otimização dos recursos para investimentos futuros.

Publicado em 16/06/2011, em Atualidades. Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Guglielmo Damioli

    Parabenizamos a Caritas N 2 pela iniciativa do Seminário.
    Os fundos solidários, as experiências em andamento (como aquela da ABAA de Bujaru), representam os novos caminhos do desenvolvimento sustentável e solidário no Brasil e na Amazônia em particular.
    Se não abraçarmos esta mistica, os grandes Projetos, as monoculturas de eucalipto e os dendezais, camufladas de reflorestamento, vão engolir nossas nascentes, vão engolir nossas matas, vão engolir toda a agricultura familiar…
    Guilherme

    • Obrigada pelo apoio Guglielmo Damioli, sabemos que há ótimas iniciativas em prol do desenvolvimento sustentável, os desafios são muitos, mas esse já é um caminho.

  2. Rosi Soares - Bujaru - PA

    A sustentabilidade sócio ambiental precisa da contribuição de todos os grupos organizados da Amazônia. A ABAA ESTÁ DANDO sua contribuição, por isso mereceu o PREMIO ODM 14, pela luta contra a pobreza e a miséria. O Fundo Solidário é um instrumento que fortalece a autonomia e a organização, viabiliza o desenvolvimento sócio econômico de todos os pequenos agricultores envolvidos no processo. A Caritas está de parabéns, a ABAA está de parabéns. A Amazônia e o Brasil agradecem. Rosi Soares/Bujaru/PA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: